Vamos falar sobre o IPCA?

Saiu o resultado do IPCA de janeiro de 2018: 0,29%. Um dos resultados mais baixos no mês de janeiro desde o Plano Real.

A expectativa era de que o IPCA atingisse o 0,41%. Mas, pelo visto, não foi o caso.

Agora, eu te pergunto: Será mesmo que a inflação está tão baixa?

Para os que acreditam que sim, o argumento é de que com o consumo menor por parte da população, mais o desemprego em alta acarretaria em guerras de preços mais baixos, afetando assim o índice.

A lógica seria esta mesma. Porém…

Já reparou no preço da gasolina? No gás de cozinha? Na mensalidade educacional? No material escolar? Pois é, subiram acima do IPCA.

Então, por que o IPCA está tão baixo assim?

Pode ser que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) esteja sendo rebaixado a canetadas. É como se fosse um “imposto disfarçado”. O motivo seria que o Governo diminuísse o valor da sua dívida.

Até porque tem um monte títulos públicos emitidos com a taxa IPCA. Com o IPCA menor, menor o valor a ser pago para quitar estas dívidas. A saída para isso seria diminuir os juros, como já foi feito através da redução da taxa Selic, e agora com a redução do valor do IPCA mensal.

Com isso, a dívida do Governo se torna cada vez menor. Claro que os rentistas resmungariam. E os tomadores de dívidas, aplaudiriam. E assim segue o jogo…




– –

 

8 opiniões sobre “Vamos falar sobre o IPCA?

  • Fevereiro 8, 2018 em 4:03 pm
    Permalink

    Mas quais são os itens que compõem o IPCA que baixaram (ou subiram menos) que justificam isto? O resultado desses itens estão mesmo condizendo com a realidade?

    Resposta
    • Fevereiro 8, 2018 em 5:57 pm
      Permalink

      É verdade, eu deveria ter citado os itens que compõe o IPCA.

      Não tenho aqui em mãos os índices de cada item do mês de janeiro.
      Mas os itens que compõe o IPCA são: alimentação e bebidas, artigos de residência, comunicação, despesas pessoais, educação, habitação, saúde e cuidados pessoais, transportes e vestuário.
      Estes itens citados ainda são divididos em outros subitens. No final, o IPCA mede as variações de preços de 465 subitens alocados dentro dessas categorias.
      Ou seja, é uma pesquisa e tanta feita pelo IBGE.
      Não quero dizer que o IBGE tem feito um trabalho errado, muito pelo contrário.
      Mas como eu tenho visto os preços subirem acima do IPCA, fiquei um pouco desconfiado.

      Abs,
      50segundos

      Resposta
  • Fevereiro 9, 2018 em 8:56 am
    Permalink

    50 segundos,

    Desde o outro post que escreveu, comecei a prestar atenção na disparidade que existe entre o IPCA e a realidade.
    Infelizmente, como você disse, é tudo um jogo:
    IPCA menor = títulos do TD atrelados à ele remunerando menos
    IPCA menor = justificativa para diminuir a taxa básica de juros que resulta em títulos do TD atrelados à Selic remunerando menos também.

    Compartilho de sua desconfiança, pois a maioria dos itens que compõe o IPCA não faz parte da vida da maior parte da população. Além disso, vi hoje as maiores altas de janeiro.
    Tomate: 45,7%
    Cenoura: 18,54%
    Batata-inglesa: 10,85%
    No supermercado compramos cada vez menos e pagamos cada vez mais…

    O que importa para a maior parte da população se o preço do celular, do refrigerador ou do televisor diminuiu?
    Isso impacta mensalmente as despesas da grande maioria ou apenas ocasionalmente?

    Eu também acho que o problema não é o IBGE, o trabalho que fazem é muito bom. O problema é a lista de produtos que compõe o IPCA. Para refletir a inflação real e ser utilizada oficialmente como índice de correção de investimentos, salários e aposentadorias, deveria haver um índice específico com os itens realmente utilizados habitualmente pela população, pois dessa forma, o IPCA é tão amplo, mas tão amplo que acaba até saindo do seu próprio escopo.

    Como disse o Epaminondas no YouTube, pagamos no Brasil gasolina a preço de combustível de foguete e mesmo assim o IPCA fechou 2017 em 2,95%?

    Há algum muito estranho mesmo em tudo isso…

    Resposta
    • Fevereiro 9, 2018 em 9:09 am
      Permalink

      Comentário perfeito, S&H. É a mesma visão que eu tenho.

      Mas como não podemos controlar isso, está acima de nossa alçada, não irei gastar mais energias com isso.
      Mas precisava desabafar, através deste post.

      Abs,
      50segundos

      Resposta
  • Fevereiro 20, 2018 em 12:37 pm
    Permalink

    Mas quem disse que a inflação baixou? Gente ou eu que sou mto esperto ou vcs sao b…IPCA SUBIU MENOS…NAO CAIUUU

    Resposta
    • Fevereiro 20, 2018 em 12:41 pm
      Permalink

      Você deve ser o “mto esperto” que não sabe interpretar texto.

      Abs,
      50segundos

      Resposta
  • Fevereiro 21, 2018 em 9:35 am
    Permalink

    Acho que é muito trabalho só p maquiar o IPCA, na verdade nem competência p isso o governo tem. Acho q essa disparidade que existe é fruto de uma “cesta básica” que compõe o índice estar absolutamente desatualizada e fora da realidade. Estou para escrever um artigo no meu blog a respeito de como anoto todos os meus gastos, desde um sorvete q compro na esquina até um eletrodoméstico novo, e com isso consigo ter uma ideia de qual é a minha inflação real.
    Bom post!
    Um abraço

    Sr. IF365

    Blog IF365 | Acompanhe meus últimos 365 dias antes da IF e Aposentadoria Antecipada
    https://srif365.wixsite.com/if365

    Resposta
    • Fevereiro 21, 2018 em 9:54 am
      Permalink

      Olá… sim, é uma boa observação!
      Precisa mesmo apurar caso a caso todos os subitens que compõe o IPCA – não deve ser uma tarefa fácil.
      Outra questão é que cada um tem a sua inflação real. Até porque o pãozinho da padaria aqui da esquina não é o mesmo daí. Assim como a gasolina daí, não a mesma daqui.
      Então, fica complicado mesmo. Só sei que a maioria dos produtos que eu consumo, os preços subiram acima do IPCA.

      Abs,
      50segundos

      Resposta

Deixe uma resposta