“Com a Selic em queda, a poupança volta a ficar atrativa?”

Foi esta pergunta que me fizeram por e-mail e vou responder por aqui.

De imediato, digo que NÃO.

Mesmo com o sétimo corte seguido na taxa Selic aplicado pelo Copom, a poupança segue desfavorável. Atualmente, a taxa Selic está em 9,25% ao ano. E pelo anúncio, é bem provável que ocorram mais cortes nas próximas reuniões. É possível que até ao final do ano, a Selic atinja o patamar de 7% ao ano.

Assim como em outras aplicações de renda fixa, a poupança também é afetada com os juros básicos menores.

Quando a Selic ficar menor que 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança também será reduzida. Desta forma, a poupança passará a render 70% da taxa Selic + a taxa referencial.

E mesmo que a Selic caia ainda mais, com os juros menores que o atual, a poupança continuará sendo menos vantajosa que as aplicações consideradas “colchões de segurança” ou “reserva de emergência”, entre elas o Tesouro Selic (LFT); o CDB que entregue pelo menos 100% do CDI – com liquidez diária; e o Fundo DI com baixa taxa de administração – vale ressaltar que baixa taxa de administração é o fundo que cobra no máximo até 0,3%.

Portanto, não se preocupe. Não é hora de migrar a sua reserva de emergência para a poupança. O seu colchão de segurança ainda está rendendo melhor que a velha caderneta.




– –

Se quiser tirar outras dúvidas ou se quiser falar comigo, pode escrever nos comentários abaixo ou em qualquer comentário de outro post. Se preferir, pode me enviar e-mail para o contato@50segundos.com

Deixe uma resposta