7 passos para eliminar as dívidas

Segundo as recentes pesquisas do IBGE, mais de 60% das famílias brasileiras estão endividadas. O sinal é alarmante. Isso comprova que brasileiro não sabe poupar. Infelizmente, não tem o controle dos gastos. Enfim, prefere ostentar. Não adianta gastar a mais do que não tem. Para começar a investir com sabedoria, precisa primeiro eliminar as dívidas. Por isso, segue os sete passos para eliminar o saldo negativo da sua conta.

1) Antes de tudo é preciso registrar as dívidas. Pegue um papel e caneta e liste todas as dívidas que você possui. Desde os valores que você deve no condomínio até a dívida do cartão de crédito, passando pelas prestações de empréstimos consignados. A regra é estabelecer um plano para não fazer novas dívidas.

2) Negocie as dívidas. Basta fazer uma ligação ao seu banco, para você renegociar as dívidas com os juros um pouco mais baixos. Claro que é preciso prometer que desta vez, você vai pagar as dívidas. Lembrando que é fundamental diminuir os juros, já que os juros compostos do cartão e do cheque especial são cruéis para o seu bolso.

3) Depois de renegociar as dívidas, é vital que você priorize o pagamento das dívidas dos juros mais altos. Exemplo prático. A dívida do condomínio é de 1% a.m. e a do cartão é de 12% a.m. Qual você deve pagar primeiro? A do cartão, claro! Mas, nem todos pensam assim, pois referem priorizar as dívidas de menor valor.

4) Cancele os futuros gastos supérfluos – mesmo que fique mais de uma hora no telefone para cancelar a assinatura. Adeus tv por assinatura, revistas, academias, clubes… A melhor maneira de economizar dinheiro no futuro é cancelar esses gastos. Outra boa saída é cancelar a viagem programada. Mesmo que você já tenha pago uma parcela da passagem aérea ou hospedagem, você terá gastos durante a tal viagem como alimentação, souvenirs, seguro-viagem. Quanto menos gastos a mais, melhor.

5) Não gaste dinheiro na loteria. Mesmo que seja R$1,50 por semana na MegaSena, ou bingos e casinos. Não vale o investimento. A prioridade é salvar o seu patrimônio e não tentar a sorte – em jogos de azar – para ficar milionário. A porcentagem deste dinheiro se tornar um milagre é “um milagre”.

6) Metas mensais para diminuir as dívidas. É importante estabelecer prazos e objetivos para diminuir as dívidas. Exemplo prático: no primeiro mês, o saldo negativo é de R$50.000,00. No mês seguinte, tente alcançar a meta de R$42.500,00 nas dívidas. Em seguida, R$40.000,00 e assim por diante. Desta forma, você se torna motivado e confiante para diminuir essa margem negativa na sua carteira.

7) Pare de ostentar, se você não pode. Se por acaso, a sua receita é de R$5.000,00, mas gasta 4,5K. E no mês seguinte, você recebeu um aumento no trabalho, e passou a receber 7,5K nas receitas. Obviamente, os seus gastos não podem subir para 6.5K, só porque você passou a receber a mais por isso. Os seus gastos devem continuar bem inferiores, mesmo com o aumento de capital. Por isso, não ostente o seu estilo de vida.

Espero que com essas dicas, estejamos preparados para os desafios da dívida. Por isso, prepare uma planilha. De um lado, os seus gastos e de outro, as suas receitas. Desta forma, fica mais fácil organizar os lucros e prejuízos, para não ficar apenas no achismo.

Vale lembrar que a eliminação da dívida não ocorre da noite para o dia. O percurso é árduo, exige medidas drásticas, nem sempre confortáveis, porém obrigatórias.




Deixe uma resposta