7 erros cometidos pela classe média quando o assunto é dinheiro

1 – Acumular Dívidas

Virou rotina as pessoas não pagarem o valor total do cartão de crédito. Esse é um dos mais graves erros que podem ser cometidos, quando o assunto é finanças. Os juros do cartão de crédito são colossais, por volta de 15% ao mês ou 487% ao ano. Isso é quase um suicídio para as suas finanças. A pessoa empurra a dívida para o mês seguinte. E na fatura seguinte, também não paga o valor completo do cartão e assim segue se transformando em uma bola de neve.

Por favor, não acumule dívidas no cartão de crédito. Pague o valor total do cartão de crédito. se não tem condições de pagar o valor total, então pare de comprar imediatamente. Isso é uma ordem!

2 – Não ter uma Reserva de Emergência

Se você fosse demitido hoje? Você teria dinheiro para se sustentar por alguns meses até encontrar um novo emprego? – ok, vamos bater na madeira aqui. E se você tivesse descoberto uma grave doença e o seu seguro saúde não cobre as despesas? O que você faria? É melhor batermos na madeira mais uma vez.

Para cobrir essas despesas emergenciais, existe a reserva de emergência ou colchão de segurança. É uma quantia equivalente de seis a nove meses de despesas – depende de cada caso – que você deve guardar, caso precise dela algum dia. Mas não vá guardar esse valor embaixo do colchão, invista esse dinheiro que tenha liquidez imediata. Explico aqui neste post como investir em um colchão de segurança.

3 – Não aumentar o seu investimento quando você recebe um aumento

Geralmente quando se recebe um aumento de salário, significa um aumento das despesas. Mas não é assim que deve funcionar. Ao aumentar o seu salário, significa que a porcentagem desse aumento deve ser proporcionalmente alocado ao seu investimento. Isso facilitará que você tenha uma aposentadoria mais cedo, pois irá aumentar o valor do investimento mensalmente, em consequência chegará a uma quantia ideal para a aposentadoria mais rápida.

4 – Pagar alta taxas de seguros sem necessidade

Existe seguro para tudo no Brasil: vida, casa, carro, moto, bicicleta, bolsa, celular… Peraí, bolsa? Celular? Não, não compensa ter um seguro bolsa ou um seguro celular. Isso é só uma despesa mensal a mais para você, e assim sobre menos para você investir. Com doze meses de seguro celular, você compra outro celular. E olha que o seguro não cobre furto. Ou seja, ser furtada na 25 de março em SP ou no Centro do RJ, esquece, pois o seguro não cobre. Logo, não compensa pagar seguro.

5 – Atrasar o início dos investimentos

“Só vou começar a investir depois dos 30”. “Só vou começar a investir depois que eu quitar o carro”. Essas frases ou essas mentalidades são prejudicais para as suas economias. Quanto mais cedo você começa a investir, mais cedo conseguirá se aposentar ou mais cedo terá o hábito de saber poupar e investir. Quanto mais tarde você começa a investir, mais tempo terá que trabalhar.

6 – Divórcio

Tem um amigo que me contou que o pai dele se divorciou por três vezes. Qual a consequência disso? Precisou entregar uma casa para cada ex-mulher na conclusão da recisão de bens. Uma verdadeira ducha de água fria para as finanças futuras e consequentemente o patrimônio dele declinou consideravelmente. Pois é, ninguém gosta de perder patrimônio. Por isso, case-se com a pessoa que você ame de verdade. Pois o divórcio pode ser doloroso tanto para o coração quanto para o bolso.

7 – Desperdício de dinheiro com bens que são depreciados

O brasileiro adora ter um carro. Para isso, adora comprar um monte de acessórios para o veículo, de uso bem desnecessários, diga-se de passagem. Para quê você vai comprar uma calota mais bonita para o carro? A calota atual não serve? Para que estofar o carro com banco de couro? Essa melhoria não vai aumentar o valor de venda do carro. Pois a cada mês, o seu veículo se deprecia. É só pesquisar na tabela fipe, que você vai reparar a queda vertiginosa do seu veículo no momento da compra para os dias atuais.

Após ler os 7 conceitos acima, espero que você mude a sua mentalidade. Não adianta apenas ler e não colocar em prática. Essa mudança de postura irá significar uma enorme saúde financeira para você. Porém, você só vai perceber isso, lá na frente. E depois irá reparar que esses “mandamentos” acima fizeram um bem danado para você.